sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Características dos siameses

De carinha escura e olhos intensamente azuis, os gatos siameses são muito comunicativos e conquistam qualquer pessoa que conviva com eles. Eles conversam, respondem e andam sempre atrás dos donos, emitindo os mais variados sons e participando de tudo o que acontece na casa.

Os siameses têm um certo estrabismo e a ponta da cauda "quebrada".

Diz a lenda que...

Sobre o estrabismo: os gatos siameses eram encarregados de fazer a guarda de tesouros do reino e os olhavam tão fixamente que acabaram ficando vesgos.

Sobre a cauda quebrada:
as princesas do Sião deixavam seus anéis sob a guarda dos gatos, colocando-os na cauda, que adquiriu a forma curva para evitar que as jóias caíssem.

Mas, segundo os estudiosos...

... a alta ocorrência de estrabismo é uma conseqüência dos cruzamentos que resultaram no surgimento dos gatos siameses. "Quando a raça foi criada no Sião, atual Tailândia, foram selecionados involuntariamente genes que acarretaram alguns defeitos, como o estrabismo, e uma pequena falha na ponta da cauda, que pode ser em forma de L", diz o veterinário Gelson Genaro, da USP de Ribeirão Preto, especialista em gatos. O estrabismo, no caso dos gatos siameses, geralmente é convergente – os dois olhos virados para dentro.

Os gatos siameses nascem completamente brancos. A partir dos cinco dias de nascidos os pontos começam a se marcar. As áreas mais frias do corpo tais como orelhas, face, bolsa escrotal, patas e cauda ficam cada vez mais escuras, explicando o porquê dos siameses de apartamento serem mais claros que os que permanecem no lado externo de uma residência, expostos a temperaturas mais baixas.

Os siameses são extremamente dóceis, carinhosos, curiosos, brincalhões, ágeis, ativos e muito inteligentes. Ou seja... I R R E S I S T Í V E I S ! ! !

A história do gato siamês está ainda envolta em mistério e pouco se sabe sobre suas raízes.

A Biblioteca Nacional de Banguecoque possui uma colecção de manuscritos que datam do século XIV, nos quais se descreve um gato de tipo Siamês, chamado "vichien mas". Dois séculos depois, o naturalista Pallas descreveu uma raça de gatos que encontrou na Ásia Central: tinham corpo branco e as patas, orelhas e a cauda escuras.

No Sião, antiga Tailândia, estes gatos eram venerados tanto por monges Budistas como pelas altas classes da sociedade. Esta raça foi adoptada como o Gato Real do Sião e só podia ser obtida com autorização do Rei, que os cedia do seu palácio.

O cônsul inglês Owen Gould recebeu alguns animais de presente do próprio rei do Sião, em 1884, e os levou para Londres, onde fizeram enorme sucesso numa exposição de felinos. Depois fizeram sucesso na América, no início do século 20. É considerada uma raça antiga e a mais popular de todas as raças com pedigree.

Fonte: http://casa.hsw.uol.com.br/siames.htm ; http://edself.blogspot.com/2009/03/por-que-ha-tantos-gatos-siameses-vesgos.html ; http://www.jornalprimeirahora.com.br/mundopet/colunas.asp?idn=8334

2 comentários:

  1. Concordo totalmente!!! Amo os animais e já tive outros gatos, mas nenhum deles se compara ao meu precioso Léo. Um siamês fofo que encantou e segue encantando a todos de nossa casa. Amo demais esse bichano.

    ResponderExcluir